ACORDO

Estados e União vão implantar medidas duras de ajuste fiscal. O consenso é parte do acordo para liberação de dinheiro aos estados. Deve ser implantado o teto de despesas e a criação de fundo com, no mínimo, 10% dos incentivos tributários concedidos à empresas. Em troca os estados vão receber mais rápido os R$ 5 bi que pediram ao governo federal.

 

CALAMIDADE

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, declarou calamidade financeira no estado. É o segundo estado a recorrer a esta medida. O primeiro foi o Rio de Janeiro, em junho passado.

 

AINDA GEDDEL

Dois parentes do ministro Geddel Vieira Lima constam como representante legais do edifício La Vue. Geddel é acusado de atuar, de forma ilícita, para a liberação da obra. O político responde a processo na Comissão de Ética da Presidência, sobre o assunto.

PIB PARADO

Consumidores endividados e taxa de desemprego de quase 12% são responsáveis pela ociosidade das indústrias e uma falta de crescimento do PIB. Analistas afirmam que as medidas de ajuste fiscal propostas pelo governo ainda não são suficientes para o retorno do crescimento. É necessário acelerar a reforma da Previdência e as concessões de projetos de infraestrutura. A queda dos juros também é indicada.


 POST SCRIPTUM

 A desigualdade no Brasil se mantém igual desde 2011. Os dados são do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s